Projetos

BRAmazonia
Modelo operacional do CCST, inicialmente documentado em Aguiar et al. (2012), cujos resultados anualmente atualizados neste site. Em Aguiar et al., 2015 foi desenvolvido um novo componente para Degradação Florestal, documentado em Aguiar et al. (2015).

Eráclito Rodrigues de Sousa Neto, Dr.
Biólogo, Doutor em Ciências pela Centro de Energia Nuclear na Agricultura, CENA – USP. Pós-doutorando no Centro de Ciência do Sistema Terrestre (CCST - INPE), em São José dos Campos.
Sua pesquisa é voltada à investigação dos mecanismos e agentes responsáveis pelas mudanças de cobertura e uso da terra (LUCC) no nordeste do Brasil. Sua pesquisa envolve vários aspectos (parâmetros) e centra-se na estimativa de gases de efeito estufa (GEE) de solos do bioma Caatinga, e no entendimento dos impactos das LUCC na vegetação, nas políticas públicas e nas populações locais. Esta trabalho irá prover subsídios para o desenvolvimento de um sistema de estimativa de emissões operacional para a Caatinga (INPE-EM/BRCaatinga), como temos hoje para a Amazônia.
Currículo Lattes

Alan de Brito
Doutorando em Ciência do Sistema Terrestre, INPE. Orientação: Ana Paula Aguiar e Gilvan Sampaio. A tese (em andamento) consiste no desenvolvimento de um modelo de emissão de gases de efeito estufa por desmatamento no Cerrado (BR Cerrado) brasileiro utilizando o arcabouço de modelagem INPE-Emission Model. A construção do modelo espacialmente explícito tem como objetivo representar a heterogeneidade ambiental e socioeconômica encontradas nas diferentes regiões do bioma. Esta tese de doutorado irá prover subsídios para o desenvolvimento de um sistema de estimativa de emissões operacional para o Cerrado (INPE-EM/BRCerrado), como temos hoje para a Amazônia.
Currículo Lattes

Maria das Vitórias Medeiros da Mata
Tese de Doutorado em Ciências Climáticas, Centro de Ciências Exatas e da Terra da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Orientação: Judith Hoelzemann e Jean Ometto. A pesquisa apresenta estimativas inéditas do balanço de emissões de CO2 por mudanças no uso e cobertura da terra (LUCC) para vegetação de Caatinga do RN, utilizando o modelo de emissões INPE-EM (INPE-Emission Model), adaptado para as atividades mais relevantes relacionadas às LUCC para a região de estudo. Na adaptação do modelo, foram utilizados dados espaciais de desmatamento (2000 - 2010) e biomassa, além de outros parâmetros disponíveis na literatura, como por exemplo, a porcentagem de biomassa removida e queimada acima e abaixo do solo, o decaimento do corte e o número de anos para o abandono das áreas.
Currículo Lattes

Christianne Riquetti Corsini
Doutoranda em Ciência do Sistema Terrestre, INPE. Orientação: Ana Paula Aguiar e Luís Aragão. Sua tese (em andamento) busca entender a variabilidade do processo de crescimento da vegetação secundária (e consequentemente absorção de CO2) na Amazônia Brasileira, visando aprimorar o modelo INPE-EM.
Currículo Lattes

Juliana Kury
Doutoranda em Ciência do Sistema Terrestre, INPE. Orientação: Ana Paula Aguiar e Dalton Valeriano. Sua tese (em andamento) visa entender os padrões espaciais e temporais (trajetórias) da degradação florestal na Amazônia, visando subsidiar a construção de um componente de estimativas de emissões por degradação florestal no INPE-EM.
Currículo Lattes

Leticia Viana Hissa
Doutoranda na Humboldt Universität, Departamento de Geografia, em Berlim, sob orientação da Prof. Tobia Lakes. Entre as atividades do seu Doutorado (em andamento) está a adaptação do INPE-EM para a região da BR 163 (Cuiabá-Santarém). Desenvolveu um novo componente para estimar as emissões derivadas da degradação florestal por efeito de borda nas áreas vizinhas às áreas desflorestadas.
Currículo Lattes